Futura apresenta programação especial sobre Direitos Humanos

 


Para lembrar o Dia Internacional dos Direitos Humanos, o Canal traz uma seleção de documentários sobre o tema

 

 

                Em 10 de dezembro é celebrado oDia Internacional dos Direitos Humanos e oCanal Futura preparou uma programação especial sobre o tema. A partir do início do mês, às quintas-feiras, 19h, a faixa  Mundo.doc apresenta quatro documentários: No dia 8, O Sonho de Shannen  mostra a luta de uma comunidade indígena canadense para preservar suas tradições dentro do sistema educacional vigente no país; no dia 15, A Guerra não é um jogo, sobre as contradições da Convenção de Genebra; e no dia 22, Boom Populacional, sobre o superpovoamento do planeta e as implicações dos governos controlarem ou não a natalidade.

 

                Ainda dentro da temática, o Futuraexibirá "Nóia", produzido pela Agência Pública de Jornalismo Investigativo, no dia 8/12, às 19h35. O filme aborda políticas de redução de danos para usuários de drogas em SP. Já no dia 11 (domingo), às 18h30, o documentário "My life, My lesson" acompanha por dois anos a rotina de uma adolescente sueca, Felícia, que após perder seu pai biológico, cresce em meio aos maus-tratos do padrasto.

 

No dia 13, às 22h, o filme "Companheiras" mostra um lado da Ditadura Militar do Brasil pouco comentado: o das mulheres que lutaram ou estiveram ao lado de seus companheiros militantes – mortos e desaparecidos durante este período do Brasil. Para fechar, até o dia 16/12, às 19h, a série documental "Catavento – Tudo ao seu tempo" lança luz sobre o trabalho infantil, uma grave violação do direito das crianças e adolescentes.

 

"O Futura tem um compromisso com os Direitos Humanos. No Brasil e no mundo. Estamos conscientes que é necessário aprofundar nossos pontos de vista sobre questões étnico-raciais, de gênero, maus tratos e violência doméstica, dentre muitos outros, de modo a garantir que todas as pessoas possam crescer e conviver num ambiente de paz e diversidade de expressões", conta João Alegria, diretor do Canal Futura.

 

 

SAIBA MAIS SOBRE OS DOCUMENTÁRIOS:

 

MUNDO.DOC

Estreia: 1 de dezembro, às 21h

Exibição: Quintas-feiras, às 21h

Reprise: Sábado, às 21h

Duração: 60 minutos

 

"Raça" é uma palavra de 04 letras         

Diretor: Sobaz Benjamin

O diretor Sobaz Benjamin dirige e atua em Race is a four letter word, um filme que discute, a partir de sua própria experiência como negro, como aspectos ligados às raças humanas influenciam e condicionam a o sentimento de pertencimento e a formação das identidades da população. Partindo da realidade multicultural canadense, Sobaz acompanha quatro pessoas com diferentes olhares e sentimentos sobre a questão racial no país.

 

O Sonho de Shannen    

Diretor: Alanis Obomsawin

O filme mostra a luta de uma comunidade indígena canadense, já relativamente integrada à sociedade, para preservar suas tradições dentro do sistema educacional canadense, em escolas adequadas para as crianças indígenas e com acesso tão fácil quanto o de outras crianças. Os ativistas querem que os indígenas e seus descendentes tenham escolas perto de suas casas, das reservas onde vivem. Eles se apegam, como um mito, à figura de Shannen Koonstachi, uma adolescente que lutava bastante por essa causa e morreu aos 16 anos num acidente de carro. O principal ponto de interesse deste documentário é o entrelaçamento da questão indígena com a educação.

 

A Guerra não é um jogo              

Diretor: Lode Desmet

É excelente o tema deste documentário: as contradições da Convenção de Genebra, uma espécie de regulamento para guerras que existe desde meados do século 19. Acredito que todos que já ouviram falar do que se trata a convenção se pegaram ao menos por um momento pensando em como é estranho o fato de haver regras para algo tão caótico e destrutivo como uma guerra. "War Is Not a Game" aborda a questão de diferentes ângulos: qual a origem histórica do acordo; que pontos ele deixa vago; os dilemas que ele suscita em governos e soldados; e sua inadequação a um tipo de guerra "não clássico", entre forças de natureza diferente desproporcional, que tem se tornado cada vez mais comum da segunda metade do século 20 para cá. 

 

Boom Populacional       

Diretor: Werner Boote

O documentário Population Boom parte de uma questão que vem sendo formulada por setores preocupados com o crescimento populacional: estaria o mundo superpovoado? A partir desta perspectiva, o diretor Werner Boote conduz a narrativa, fazendo entrevistas com pessoas e organizações que protagonizam estas discussões, como por exemplo, a ONU, o governo dos Estados Unidos e o governo chinês. Ao mesmo tempo, visita países que vêm sendo acusados de não promover nenhum controle de natalidade, nos continentes asiático e africano, para descobrir novas abordagens do problema. No decorrer do filme, junto com o narrador, vamos percebendo que a preocupação sobre o crescimento populacional talvez esteja sendo manipulada por certos países, em prol de interesses individuais.

 

 

NOIA

Exibição: 1 de dezembro (quinta-feira), às 19h35

Um mergulho no universo da Cracolândia, em São Paulo a partir do programa "De Braços Abertos". O programa atende usuários de crack e se baseia na redução de danos – não exigindo que seus beneficiários realizem tratamento para a dependência química – o gera grande polêmica. O filme retrata essas ações e a região pela visão dos atendidos pelo programa.

 

 

CATAVENTO – TUDO AO SEU TEMPO

Estreia: 5 de dezembro, às 19h

Exibição: de 5 a 16 de dezembro, segunda a sexta-feira, às 19h

"Trabalho" e "Criança" são duas palavras que deveriam ser consideradas opostas dentro de uma mesma frase. Assim, pretende-se seguir com a estrutura do roteiro baseada em oposições, ou seja, mostrar através de comparações o que é o trabalho infantil, como ele deve ser combatido. Com isso, cada episódio deverá esclarecer ao espectador, e trazê-lo para colaborar com o desafio de erradicar o trabalho infantil no Brasil.

 

 

ARRASA, MANX

Exibição: 8 de dezembro (quinta-feira), às 19h35

Um retrato da juventude LGBT da periferia de São Paulo e como essa galera empoderada pensa família, trabalho, preconceito, amor, como lidam com as "tretas" do cotidiano e o que sonham para o futuro.

 

 

MY LIFE, MY LESSON

Exibição: 11 de dezembro (domingo), às 18h30

O documentário acompanha por dois anos a rotina de uma adolescente sueca, Felícia. Após perder seu pai biológico, a menina cresce em meio a maus-tratos do padrasto. Apesar dos muitos desafios, ela segue na tentativa de ajudá-lo a resolver a sua vida e ser um bom pai.

 

 

COMPANHEIRAS

Exibição: 13 de dezembro (terça-feira), às 22h

O documentário mostra um lado da Ditadura Militar do Brasil (1964-1985) pouco comentado, o de mulheres que lutaram ou apenas estiveram ao lado de seus companheiros militantes – mortos e desaparecidos durante este período do Brasil. As companheiras Clara Charf, Ilda Martins, Clarize Herzog, Izaura Coqueiro e Criméia Almeida, contam suas histórias de vida, antes, durante e após perderem seus companheiros na luta pela democracia. Com depoimentos de Cecilia Coimbra e Maria Victoria Benevides.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Netflix anuncia projeto ainda sem título: nova série infantil animada inspirada em músicas clássicas da Motown

FOX: DESTAQUES DA PROGRAMAÇÃO 1 A 7 DE AGOSTO DE 2016

Gloob lança mais uma maratona Gloob Duni Tê