Shows inéditos com BNegão & Seletores de Frequência e RZO são exibidos no SescTV


Gravados na sexta edição do Festival Batuque, em 2015, os espetáculos trazem repertório de rap, hip hop e black music 



BNegão. Foto: Divulgação

RZO. Foto: Divulgação.

 

SescTV apresenta no dia 28/12, quarta, às 22h (assista também pela internet em sesctv.org.br/avivo) dois shows inéditos com as bandas brasileiras BNegão & Seletores de Frequência e RZO, exibidos em um mesmo programa. Com repertório de raphip hop black music, os espetáculos foram gravados na sexta edição do Festival Batuque, em 2015. O evento é realizado anualmente no Sesc Santo André, na Região do Grande ABC, em São Paulo, e recebe artistas nacionais e internacionais, representantes da música negra e suas variações.

 

Com letras permeadas de crítica social e política, a banda BNegão e Seletores de Frequência abre as exibições no canal. O vocalista e guitarrista BNegão conta que tinha muitas composições, no final de 1999 e início de 2000, que não faziam o estilo musical do Planet Hemp e nem do The Funk Fuckers (grupos que integrou). Surgiu então a parceria com a Seletores de Frequência, na qual ele parte do rap para a música negra universal. "Dentro disso, para mim, está o rock, o hardcore. Está tudo dentro da mesma árvore", explica. "Essa coisa de percussão, eu queria fazer desde o início da banda. Eu sempre achei que nossos discos ficaram devendo nesse quesito", completa.

 

Além de BNegão, o grupo é formado por Fabiano Moreno, na voz e guitarra; Pedro Selector, no trompete e voz; Fabio Kalunga, no baixo; Robson Riva, na bateria e voz; Paulo MC, na voz; Marco Serragrande, no trombone; Sandro Lustrosa, na Percussão; e Alexandre Garnizé, na percussão e voz. No repertório, as canções No Momento (100%)(Funk) Até o CaroçoDoroboNo Ar (Convocação); e Giratória (Sua Direção).

 

O próximo show traz a banda de rap hip hop RZO, ou Rapaziada da Zona Oeste, criada em 1980, na periferia do distrito de Pirituba, na capital paulista.  Integrante do grupo, MC Helião fala sobre o ecletismo musical que habita o parque onde costumam ir e, consequentemente, reflete na sonoridade da RZO. "No parque convivem juntos os punks, roqueiros, metaleiros, darks, sambistas e funkeiros", enumera.  "A gente fez um rap que abrange todo mundo. O pessoal do samba, do rock, do punk rock, os skatistas e os surfistas", conclui.

 

Também integrante da banda, a MC Negra Li - que acumula a função de compositora e tem carreira solo como atriz e cantora - comenta sobre a importância da RZO na trajetória de cada um, e sobre a emoção que sente quando está no palco, ao lembrar do início de tudo. "Eu fecho os olhos e danço, começo a viver e reviver tudo que eu passei", articula.  "Eu não tinha roupas para vestir, usava as roupas dos meus irmãos", finaliza.

 

Formada pelos MCs Sandrão, Helião, Negra Li e Calado e pelo DJ Cia, a banda apresenta seu repertório e ainda interpreta composições como O TremExército do RapVocê Já SabeRespeito É Pra Quem TemRap É Compromisso; e Filme Triste.

 

Os shows tem direção para TV de Daniel Pereira.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Gloob lança mais uma maratona Gloob Duni Tê

Netflix anuncia projeto ainda sem título: nova série infantil animada inspirada em músicas clássicas da Motown

FOX: DESTAQUES DA PROGRAMAÇÃO 1 A 7 DE AGOSTO DE 2016