Violino, viola, violoncelo e contrabaixo são tema de documentário inédito exibido pelo SescTV


 

A produção narra a história dos instrumentos que fazem parte da família das cordas no dia 16/12, sexta, às 20h 



Foto: Nathy Silva.

 

Presentes na formação das primeiras orquestras, há pouco mais de 300 anos, o violino, a viola, o violoncelo e o contrabaixo têm suas histórias abordadas no documentário inédito A Família das Cordas, dirigido por Marcelo Machado. Inédita, a produção traça um histórico dos quatro instrumentos que estão entre os mais antigos do mundo, revelando origens, curiosidades, épocas que mais se destacaram e compositores responsáveis por suas difusões. O longa-metragem estreia dia 16/12, sexta, às 20h, noSescTV.

 

Atualmente, 65% dos instrumentos que compõem o corpo sinfônico de uma orquestra são de cordas. Segundo o jornalista e crítico musical João Marcos Coelho, há aproximadamente 1500 A.C., as cordas eram feitas de tripas de intestinos de ovelhas. A confecção com nylon só aconteceu em 1938. "No final, a solução ficou mista. Hoje, usam-se cordas de tripas encapadas com alumínio ou prata e, em alguns casos, até ouro", explica. Coelho, responsável pelo roteiro e apresentação do documentário, também discorre sobre os diversos tipos e formatos de arcos - artefatos utilizados para tocar os instrumentos de cordas - e as diferentes sonoridades que podem proporcionar.

 

O violino tem origem na viela, instrumento medieval de cordas criado há mais de 2000 anos no Oriente Médio. De acordo com o violinista Luís Otávio Santos, em seus primórdios, ele era utilizado apenas para tocar músicas populares e recebeu o status de erudito no período barroco. A violinista Elisa Fukuda expõe que o compositor italiano Antonio Lucio Vivaldi foi o responsável por difundi-lo no mundo. O músico compôs 80% de sua obra para o instrumento.

 

Com a ascensão do violino, a viola foi ofuscada no século XVI. "Somente a partir do século XX que o instrumento passa a ter um repertório próprio", comenta Coelho. Paul Hindemith, da Alemanha, Béla Bartók, da Hungria, e William Primrose, da Escócia, foram três importantes compositores que ajudaram na divulgação da viola.

 

O violoncelo também precisou de apoio para ser conhecido. O auxílio veio do alemão Johann Sebastian Bach, que criou seis suítes para violoncelo solo, em 1720. "A obra só foi descoberta para sala de concerto nas viradas dos séculos XIX e XX", esclarece Coelho. Outro alemão, Ludwuig van Beethoven, ajudou a difundir o violoncelo no mundo, concedendo a este, em cinco sonatas, o mesmo espaço que dava ao piano.

 

Por fim, o imponente contrabaixo traz características do violino e da viola de gamba. Apesar de seu repertório ser relativamente pequeno, é tão interessante quanto os outros. Segundo o contrabaixista Pedro Gadelha, o objeto possui uma peculiaridade: é difícil encontrar dois contrabaixos iguais, pois variam em forma e número de cordas.

 

O documentário A Família das Cordasentrevista também as violinistas Betina Stegman e Elisa Fukuda, os violistas Marcelo Jaffé e Peter Pas, o violoncelista Dimos Goudaroulis e o contrabaixista Pedro Gadelha. Trechos de obras sinfônicas, compostas por Henry Purcell; Wolfgang Amadeus Mozart; Antonio Lucio Vivaldi; Roberto Victorio, entre outros, pontuam o programa.

 

Realizada pelo Selo Sesc, a atração foi produzida a partir da gravação de quatro concertos apresentados no Sesc Consolação, na capital paulista. A produção integra uma série de documentários lançados em DVD em outubro de 2015, sobre instrumentos musicais, que teve início com A Democracia das Madeiras, também exibido pelo canal.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Gloob lança mais uma maratona Gloob Duni Tê

Netflix anuncia projeto ainda sem título: nova série infantil animada inspirada em músicas clássicas da Motown

FOX: DESTAQUES DA PROGRAMAÇÃO 1 A 7 DE AGOSTO DE 2016